Filhos e filhotes

Salvo raríssimas exceções, não há criança que não peça aos pais um bichinho de estimação. E o cachorro está no topo da lista de preferências. Além de bonitinho, é um animal alegre e que interage com os donos.

De fato, conviver com pets é muito importante para o desenvolvimento humano. Segundo a veterinária e presidente do Projeto Pro-Animal, Ursula Strauch, “foi comprovado que crianças que recebem educação para respeitar um animal apresentam um melhor desempenho na escola”. Mas, incluir o novo membro na família requer responsabilidade. Conta-se, então, com a disposição dos pais.

De acordo com a psicóloga Tatiana Russo França, de São Paulo, ao conviver com um bicho, a criança percebe como seu comportamento o afeta e vice-versa, aprende sobre a importância de cuidar de um ser vivo, sente alegrias e tristezas, fica preocupada, excitada, enfim, vivencia todos os aspectos de uma relação. Essa interação favorece conversas e aprendizados muito interessantes para o pequeno, desde que haja um adulto atento para aproveitar a oportunidade.

1

São Bernardo

Indicação
0 a 12 meses

Características
De temperamento dócil, calmo, inteligente e fiel.

Leve em consideração
Ele requer espaço e passeio com frequência.

2

Labrador

Indicação
0 a 12 meses

Características
Também é dócil, calmo, inteligente e fiel.

Leve em consideração
Da mesma forma, requer espaço e passeio com frequência.

3

Golden Retriever

Indicação
0 a 12 meses

Características
Outra boa opção para quem tem criança nessa faixa etária em casa. É dócil, calmo, inteligente e fiel.

Leve em consideração
Necessita de espaço e passeio com frequência.

4

Bernese Montain Dog

Indicação
1 a 2 anos

Características
Fiel, amoroso, inteligente e forte.

Leve em consideração
É uma raça de grande porte, por isso o espaço é fundamental, assim como as caminhadas.

5

Bernese Montain Dog

Dá para resistir a esse olhar meigo?

6

Golden Retriever

Indicação
1 a 2 anos

Características
Fiel, amorosa e inteligente, a raça também é adequada para crianças nessa faixa etária.

Leve em consideração
Requer espaço e passeios frequentes.

7

Boxer

Indicação
1 a 2 anos

Características
Brincalhão e afetuoso. Extremamente paciente com crianças, inteligente e leal.

Leve em consideração
Apesar do grande porte, adapta-se facilmente a ambientes pequenos e internos.

8

Buldogue francês

Indicação
2 a 4 anos

Características
Alegre, companheiro e dócil. Apega-se muito ao dono.

Leve em consideração
Seu nível de energia é moderado. Por isso, precisa de atividade física.

9

Boston Terrier

Indicação
2 a 4 anos

Características
Ágil e afetuoso.

Leve em consideração
Exige atividade física constante.

10

Pug

Indicação
2 a 4 anos

Características
Brincalhão e bem disposto, apega-se muito à família. 11

Golden retriever

Indicação
2 a 4 anos

Características
Fiel, amoroso e inteligente.

Leve em consideração
Cheio de energia, demanda espaço.

12

Labrador

Indicação
2 a 4 anos

Características
Fiel, amoroso, inteligente.

Leve em consideração
Esta raça costuma ser cheia de energia, por isso precisa de espaço e de alguém que leve para passear.

13

Labrador

Flagra: uma demonstração de como a raça é dócil e paciente com crianças.

14

Maltês

Indicação
4 a 6 anos

Características
Companheiro, inteligente e alegre.

Leve em consideração
Por ser bem pequeno, é necessário redobrar a atenção para para evitar quedas. Seu pelo exige escovação diária para que não forme nós.

15

Maltês

Outra foto do bichinho, para você se apaixonar por esta raça!

16

Shih Tzu

Indicação
4 a 6 anos

Características
Calmo, dócil e alegre.

Leve em consideração
Não necessita de tanto exercício físico, mas precisa de escovação diária.

17

Yorkshire

Indicação
4 a 6 anos

Características
Também é companheiro, inteligente e alegre.

Leve em consideração
Valem os mesmos alertas sobre o risco de queda e escovação do pelo.

18

Border Collie

Indicação
4 a 6 anos

Características
Cheio de predicados: é inteligente, ágil, dócil, brincalhão, disposto e independente.

Leve em consideração
Esbanja energia, por isso requer atividade física.

19

Beagle

Indicação
4 a 6 anos

Características
Igualmente inteligente, ágil, dócil, brincalhão, disposto e independente.

Leve em consideração
A raça necessita de espaço e atividade constante.

20

Spitz Alemão

Indicação
4 a 6 anos

Características
Companheiro, inteligente e alegre.

Leve em consideração
Por ser uma raça de pequeno porte, quedas podem ser perigosas. Redobre a atenção. Seu pelo necessita de escovação diária para evitar a formação de nós.

Jack Russell Terrier Dog Portrait

Jack Russel

Indicação
4 a 6 anos

Características
Inteligente, ágil, dócil, brincalhão, disposto e independente.

Leve em consideração
Requer espaço e atividade frequente.

 

Divisão de responsabilidades

Tatiana explica que não há uma idade certa para a criança ganhar um cachorro. O importante é que os pais ou adultos responsáveis estejam atentos a cada situação. “Se a criança for muito pequena, o cuidado deve ser permanente, embora seja raro um cão bem tratado atacar ou morder uma criança.”, avisa.

A psicóloga também reitera que a criança pequena não pode ser considerada responsável pelo cão. “Ela pode, no máximo, ajudar com os cuidados. Já uma criança mais velha pode ficar sozinha com o cachorro e se responsabilizar por alguma tarefa específica, caso o desejo de ter o animal tenha partido dela”.

 

Perigo versus educação

Em relação aos riscos do convívio entre cães e bebês, podemos citar, principalmente, alergias, mordidas e a possibilidade de a criança machucar o animal. Para prevení-los, é muito importante que os pais fiquem atentos e eduquem de forma correta, tanto o filho quanto o cão, para que ninguém saia ferido. “Se a criança começar a machucar o bicho, vale investigar questões emocionais mal resolvidas”, alerta Tatiana.

Já no que se refere a alergias, o melhor procedimento é observar e procurar um pediatra, caso a criança manifeste sintomas.

 

bigstock-Baby-Girl-In-Summer-Dress-Sitt-38778343

Filho, você quer um cachorro?

É importante frisar que a vontade de ter um cachorro deve surgir de modo espontâneo. “Uma vez que a criança expresse esse desejo, deve-se conversar sobre seus motivos. Se for por divertimento e pelo prazer de conviver com um animal, é muito válido. No entanto, caso a criança esteja se sentindo sozinha, é preciso ser mais cauteloso. A presença humana deve vir sempre em primeiro lugar. A ausência de uma criança para brincar pode estar por trás da carência. Ou, pior, a falta de uma presença humana significativa, que traga segurança e confiança”, alerta Tatiana.

 

O que levar em conta, na hora de adotar o bichinho

Os pais precisam assumir a responsabilidade de todo o trabalho que o animal impõe, inclusive sua educação.

Os responsáveis devem cuidar para que a criança não se machuque. Também é importante que fiquem sempre atentos e disponíveis para conversar sobre possíveis angústias ou situações que a criança viva em decorrência de sua relação com o cachorro (por exemplo, em casos em que o cão chora, não obedece, fica doente ou morre).

Na melhor das hipóteses, todos os membros da família devem querer a companhia do cãozinho. Caso contrário, poderão surgir problemas na hora de educá-lo.

±¦±¦ºÍ³èÎï

 

Qual o cão mais adequado para o seu filho?

Será que existem raças mais ou menos apropriadas para conviver com crianças?

A veterinária Daniela Prette, de São Paulo, não aconselha, a crianças muito novinhas, aquelas de porte pequeno, como Yorkshire, Maltês ou Spitz Alemão, por serem muito sensíveis à queda. “Criança gosta mesmo é de cachorro que brinca! Então, os maiores são melhores. Golden Retriever e Labrador, por exemplo, além de serem mansos, têm muita paciência com criança”, diz a profissional.

Boxer, Beagle e Pug também são bastante indicados, principalmente por serem extremamente dóceis. Já o Chow-chow, o Shar-pei e os Dálmatas são, normalmente, agressivos, segundo a especialista. “Mas, todos os cachorros podem se adaptar à criança. Tudo depende da educação. Qualquer raça pode ser agressiva ou amável, dependendo de como é condicionada” Já para bebês, são recomendadas raças mais delicadas e calmas, como o Dinamarquês, por exemplo.

Os pais ou responsáveis devem levar em conta o espaço que possuem em casa para criar um animal e a importância de manter a higiene. Também devem se lembrar de que adquirir um filhote é mais fácil, pois ele poderá ser educado desde cedo. Além disso, os mais velhinhos têm menos paciência e disposição para brincar.

 

Para cada idade, uma alternativa

Selecionamos as raças mais comuns, listamos suas características predominantes e classificamos, de acordo com a faixa etária da criança. Agora, é só refletir sobre as orientações anteriores, escolher o bichinho que mais lhe agrada, e levar o melhor amigo para casa!

 

Por: Ana Castanho
Créditos e fotos: http://bebe.abril.com.br
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s