Os benefícios de falar sozinho

Mamães e papais, seu filho tem o costume de falar sozinho e você não sabe se isso é normal? Muitas vezes a criança diz que possui um amigo imaginário e passa tardes e tardes brincando e conversando com este amigo – ou seja, sozinho. Muitos pais e educadores apresentam uma preocupação exagerada quando surpreendem as crianças falando sozinhas, associando que isto esteja ligado a algum distúrbio psicológico. As estatísticas dizem que, entre as crianças portadoras da síndrome de Down, 81% delas desenvolverão o hábito de falar sozinho entre os 11 a 83 anos. Isto, porém, não quer dizer que este hábito seja um fator patogênico. Ele não é e veremos o porquê. O blog da Tricae hoje desmistifica o ato de falar sozinho e fala pra vocês, mamães e papais, que falar sozinho pode ser normal.

Menina falando sozinha

O hábito de falar sozinho pode ser benéfico para as crianças, mas deve ter a atenção dos pais.

Os pais costumam pensar que apenas os filhos únicos têm os chamados “amigos imaginários”. Isso é um mito. As crianças, quando estão brincando sozinhas, gostam de imaginar que têm um amigo invisível. Por isso, falam com ele, riem e chegam até a brigar e ficar dias “sem se falarem”. Isso pode sim acontecer com crianças que têm irmãozinhos e é natural.

Na primeira infância, não há motivos para preocupações, pois as crianças precisam imaginar e criar o seu próprio mundo defantasia. Este mundo é recheado de fadas, duendes e outras fantasias e é ele que lhe dá felicidade e prazer em crescer. Se vocês, papais e mamães, perceberem que seus filhos têm o hábito de falar sozinho ou com alguém invisível ou com o coelhinho de pelúcia que ganhou na Páscoa, escutem a conversa e aprendam a estimar essas personagens do “faz de conta” dos seus filhos.

Brincar sozinho

Falar sozinho pode ser um meio que a criança encontra para lidar com certas emoções e evitar a solidão

Os amigos imaginários podem surgir de dois modos: amigos invisíveis ou objetos personificados (com os quais a criança interage como se fossem humanos). Um amigo imaginário pode ser qualquer coisa ou até ser nada de concreto – simplesmente estar ali, para a criança. O “fazer de conta” permite à criança sentir-se como dona da situação, pois é ela quem dá ordens ao amigo invisível: ela pode ensinar, falar, mandar nos seus amigos imaginários de uma maneira impensável em relação aos seus amigos de carne e osso ou aos membros da sua família. Isso pode ser um modo positivo e criativo que a criança arranjou para lidar com o seu mundo de sonho e fantasia, podendo estar sozinha ou não. Na maioria dos casos, trata-se de um recurso valioso para a criança e importante para o seu desenvolvimento, servindo como fator compensatório.

Bebê com brinquedos pedagógicos, sozinho

Falar e brincar sozinho pode ajudar o bebê e a criança a assimilarem algumas situações e a superarem alguns medos

Um amigo imaginário tem muitas vantagens. É alguém que está sempre disponível para brincar, que gosta de todas as ideias da criança, que coopera e que nunca lhe tira os brinquedos. Por outro lado, estes amigos também são frequentemente usados para a criança se livrar de sentimentos negativos e lidar com eles, ou para atirar as culpas de algum erro para cima deles. O hábito de falar sozinho e/ou criar este tipo de “amigo imaginário” ajuda as crianças a lidarem com as ansiedades normais do seu crescimento. Pode ser uma grande ajuda, desde que não se ultrapassem certos limites. Os “amigos imaginários” também ajudam a criança a lidar com a solidão. Eles podem ajudar a criança a enfrentar seus medos infantis, como o escuro, o abandono e a solidão. Nessas situações, este amigo lhe faz companhia, preenchendo um pouco o vazio que se instala na vida infantil, reduzindo a ansiedade.

blog da Tricae tem algumas orientações aos pais que percebem o hábito de falar sozinho nos seus filhos. Os amigos imaginários são perfeitamente comuns entre crianças dos 3 aos 6 anos de idade. Porém, se este hábito persistir até a pré-adolescência, é interessante consultar um médico especialista. Falar sozinho é um meio que as crianças encontram para lidar com sentimentos como raiva e decepção e também um modo de praticarem o que é ser e ter um amigo. O hábito pode ser, em geral, muito benéfico para as crianças, mas os pais precisam procurar ajuda de um psicólogo se a criança passar a evitar o contato com os outros, ficando apenas com os “amigos imaginários”. Encontre possíveis“amiguinhos imaginários concretos” para seu pequeno e preste atenção neste hábito. Mas lembre-se: o importante é que as crianças tenham total liberdade para criarem os mundos que desejam. dê essa liberdade a elas e aproveite os momentos de fantasia com elas.

Menino sozinho

O hábito de falar sozinho é, muitas vezes, benéfico para a criança. Porém, preste atenção se seu pequeno passar a evitar o contato com outras pessoas, querendo ficar apenas com os “amigos imaginários”. Se isto ocorrer, procure um especialista.

Fonte: Blog Tricae

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s